Resenha: Se eu ficar (If i stay)


Livro: Se eu ficar
Série: Se eu ficar
Autor: Gayle Forman
Gênero: Romance, Ficção, Sobrenatural
Editora: Novo Conceito
Páginas: 224

   Sinopse:

A última coisa de que Mia se lembra é a música. Depois do acidente, ela ainda consegue ouvir a música. Ela vê o seu corpo sendo tirado dos destroços do carro de seus pais mas não sente nada. Tudo o que ela pode fazer é assistir ao esforço dos médicos para salvar sua vida, enquanto seus amigos e parentes aguardam na sala de espera... e o seu amor luta para ficar perto dela. Pelas próximas 24 horas, Mia precisa compreender o que aconteceu antes do acidente e também o que aconteceu depois. Ela sabe que precisa fazer a escolha mais difícil de todas.

(Sinopse padrão para Se eu ficar, disponível nas páginas online dedicadas a ela, no SkoobSaraiva e Wikipedia.)


   Na contra capa:

Em um dia que começou 
como qualquer outro... 

Simultaneamente trágico e cheio de esperança, esta é uma história romântica, fascinante e, finalmente, edificante sobre a memória, música, vida, morte, amor.

   Book Trailer:

Pessoal, esse é o trailer da adaptação, de mesmo nome, do livro pro cinema. E está lindo!!!




   O que eu achei:

Bem, o que posso dizer é que o livro é emocionante do começo ao fim. eu me vi preso pela sinopse. E quando comecei a ler, não consegui parar. Para ser absolutamente sincero, ele me lembra uma mistura do livro A Culpa é das Estrelas com o filme O Invisível. Temos o drama, a fragilidade, temos o acaso, temos a dor e o sofrimento. Mas também temos o lidar e compreender o que era, o que é e o que será. E temos o amor.

Somos introduzidos na vida e rotina de Mia Hall, uma musicista que tem uma paixão pelo violoncelo e a música clássica, e na de sua família: o pai, a mãe e o irmão. Conhecemos seus amigos, e o namorado. E em apenas um dia vemos esse mundo virar de cabeça para baixo, por causa de um trágico acidente. Ao aproveitar um 'dia de neve', nem os pais de Mia vão trabalhar, nem ela e o irmão vão para a escola; ao começar o degelo, a família resolve sair para visitar os amigos e os avós. Todos entram no carro, e seguem felizes. Porém... em um trecho da estrada, uma picape colide com o carro deles de forma tão violenta, que todos são arremessados para fora do veículo.

Ao acordar, Mia encontra seus pais mortos, e em seguida, encontra o seu próprio corpo. Sem entender o que está acontecendo, e ao mesmo tempo, em choque por saber que esse evento horrível nunca poderá ser desfeito, ela tenta se manter em busca de um objetivo, e do que ela deve fazer em seguida. Ela descobre que seu corpo está em coma, num estado muito grave; mas ainda vivo. E seu irmão também sobreviveu ao acidente, embora tenha se machucado muito. Ambos são encaminhados para hospitais, mas diferentes devido a gravidade de seus ferimentos.

Desse momento em diante Mia revive diversos momentos de sua vida: numa busca de tentar entender o que aconteceu e o que deve fazer. Quando é submetida à cirurgia, e depois levada para a UTI, Mia se vê com a estranha e dolorosa responsabilidade de tomar a decisão de lutar pela vida, ou desistir e seguir em frente, mesmo sem saber o que haverá para ela em seguida.

O que ela sabe, é que se acordar estará, acima de qualquer outra coisa, órfã.

Revemos através de Mia, seus relacionamentos com os amigos, família e o namorado Adam Wilde, que também é músico, e é integrante de uma banda de rock.

Qual caminho Mia seguirá, qual decisão vai escolher tomar... só lendo pra saber. Não posso colocar isso de forma tão simples. Exige reflexão, com o livro (personagem) e consigo mesmo.

   O que mais gostei:

A história do livro é linda, tocante e nos leva a um estado de espírito de pura reflexão interior. A leitura é muito fluída, o livro não se estende demais, e é de fácil compreensão. Um detalhe que gostaria de ressaltar é que ele faz referências a inúmeras músicas e bandas, o que é bem interessante. E fiz questão de encontrar e ouvir todas as músicas citadas direta ou indiretamente por ele. E o reli ao som de "Say Something", de A Great Big World (feat. Christina Aguilera). O que deu um clima de outro mundo. É a trilhasonora perfeita para o livro. Ele também me fez relembrar de Hannah Backer, uma personagem do livro Os 13 Porquês.

Enfim, foi um livro que com certeza, estará sempre junto de A Culpa é das Estrelas, Os 13 Porquês e Morte e Vida de Charlie St. Cloud na minha estante e coração.

   O que não gostei:

Não sei se foi exatamente um ponto negativo, mas a autora explorou muito o cenário e cultura norte-americanos; somos bombardeados com referências aos programas, comida e lugares típicos de lá. Tornando tudo muito cotidiano e ambientado para aqueles que lá vivem, e nos mostrando um pouco mais do estilo americano de ser. Fora isso, o livro é triste, mas isso não o faz inferior ou negativo.

   Citação Preferida:


*****


Como observação final, gostaria apenas de relembrar a todas vocês, meninas, que já são princesas! E isso não é clichê. Todas vocês, à sua maneira, vivem suas vidas objetivando a felicidade e o amor. E isso é o mais importante. Então, ao caras que vão ler isso, cuidem bem de suas garotas! Elas valem ouro. Abraços a todos os leitores! E continuem seguindo, compartilhando e curtindo o blog!!

   Trilha Sonora:

(Sim! Tem!)

A música principal, usada no trailer da adaptação é a "Say Something", já foi citada na seção "O que mais gostei". Mas vamos expandir a trilha:

Say Something - A Great Big World (feat. Christina Aguilera)
Op nº 69 - 3ª Sonata per violoncelo e piano, em 1808 - Ludwig van Beethoven
Something in the way - Nirvana
Girlfriend In A ComaThe Smiths
As bandas Embrace  e Rites Of Spring também são citadas, como referência no livro;

Outras canções, e outras bandas também são citadas, mas essas foram as que eu mais gostei, e quis compartilhar. Um abraço a todos!


*****

12 comentários:

  1. Oiii!!!! Ainda não li esse livro, mas estou com muita vontade de ler. Todo mundo fala muito bem e tenho que confessar que tenho uma quedinha por livros tristes.kkkk
    Abraços
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os dramas tem seu espaço em nossos corações. Acho que posso dizer que eles nos dão uma certa força, e perspectivas necessárias. Obrigado pela visita. Seguindo de volta! :)

      Excluir
  2. Eu curti as resenhas que vi, mas quero muito, muito mesmo é que o filme saia logo pra ver Chloe <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você, o trailer está muito promissor!! *---*

      Excluir
  3. Como acompanho vários blogs literários vi várias críticas e resenhas sobre o livro, mas só vi mesmo, não me senti atraída pelo livro e não quis ler nada a respeito...
    mas um belo dia assisti ao trailer do filme e me apaixonei, li o livro em menos de 8 horas, é simplesmente perfeito, emocionante... estou louca para ler a continuação ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso aí: "Para onde ela foi". Foi um livro bem reflexivo. Ele me colocou pra pensar na vida. rsrs A história toca no emocional de uma forma incrível. Obrigado pela visita Nathália!

      Excluir
  4. Oiee.
    Pelo que já andei lendo esse livro é bem emocionante, vi algumas pessoas falando até que não conseguiram segurar as lágrimas. Eu ainda não li, mas ele está na minha meta de leituras pra esse ano ainda, espero realmente conseguir apreciá-lo o mais brava possível. Estou torcendo pra que se torne um dos meus queridinhos *-*
    Bjokas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Recomendo que o leia com "Say something" como background. Dá um ar real à história. E provavelmente vai ficar ao lado de "A Culpa é das Estrelas" na sua estante. ;D Abraços Iêda.

      Excluir
  5. Ainda não li o livro, mas tenho grande interesse em lê-lo depois que li a sinopse e a resenha.Pelos comentários sobre o livro instiga mesmo a leitura!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey Raquel! Tudo bem? Espero que sim. E quanto ao livro, realmente. Todos os comentários a respeito dele foram muito positivos e promissores. Pena que o filme não condiz com história do livro. :( De qualquer modo, boa leitura!

      Excluir
  6. Gosto de livros que nos dão a trilha sonora. Esse então vai ser um prato cheio! ;)
    Desde que lançou eu nem tinha lido nenhuma resenha (essa é a primeira) mas gostei de cara. Eu vou muito pela capa e raramente me engano. Confesso que imaginei algo diferente. Tipo perca de memória e recomeço...
    Vi o filme Morte e Vida de Charlie St. Cloud e achei legal, mas com certeza o livro deve ser melhor. Bem viagem a história dele, e pelo visto desse livro também.
    Mal posso esperar pra ler! ótima resenha! =*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu diria que as histórias tem pontos bem semelhantes, e é uma "viagem" e tanto Maíra. É de te deixar absolutamente confuso e perdido, e de te fazer ir atrás de si mesmo, de se reencontrar e tomar grandes decisões. O livro é lindo. O filme, infelizmente, foi horrível! Obrigado pela visita e pelos elogios, são os comentários de vocês, leitores, que nos motivam ainda mais! Abraço!

      Excluir